quarta-feira, 30 de novembro de 2011

2º FÓRUM NUNDIAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA



2º FÓRUM NUNDIAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
Democratização, Emancipação e sustentabilidade

28 de maio a 01 de junho de 2012
Florianópolis – Santa Catarina – Brasil

Consulte agora as Informações fundamentais nesta Apresentação em Power Point

terça-feira, 1 de novembro de 2011

TEATRO E COMÉDIA NO CENÁRIO DA DIVERSIDADE HUMANA

Criado em meados de 2004, o grupo teatral Os Inclusos e os Sisos, fundado por Talita Werneck, um dos projetos da ONG Escola de Gente, utiliza as artes cênicas para sensibilizar públicos diversos sobre a importância de pensar uma sociedade inclusiva. O grupo apresenta esquetes cômicos que, por retratarem cenas comuns no dia-a-dia das pessoas, conseguem sensibilizá-las e levá-las a perceber a necessidade de mudança dos próprios conceitos sobre o que é “normal” e o que é “diferente”.

O humor é o principal ingrediente dos esquetes e peças do grupo teatral. É por meio dele que os atores provocam o público, fazem rir, suscitam reflexões e deixam evidente a dificuldade de lidarmos com qualquer tipo de diversidade, especialmente quando precisamos nos relacionar com pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Ao longo de seis anos, já foram criadas 45 esquetes e algumas peças como “TV Infância” e “Ninguém mais vai ser bonzinho”, que se tornou, em 2007, o primeiro espetáculo teatral no Brasil a oferecer à platéia, simultaneamente, a interpretação por meio da Libras, legenda, audiodescrição e o programa impresso em braile.

De 2002 a 2009, a Escola de Gente sensibilizou diretamente mais de 380 mil pessoas para a causa, atuando presencialmente em 13 países da América Latina, Europa e África.

Tata Werneck, apresentadora da MTV e fundadora do grupo “Os Inclusos e os Sisos” dá aula de improviso nas oficinas de teatro da Escola de Gente.

Os Inclusos e os Sisos - Teatro de Mobilização pela Diversidade - se destacaram no cenário internacional a partir do espetáculo teatral “Ninguém mais vai ser bonzinho”, primeira peça brasileira encenada com distintas formas simultâneas de acessibilidade que é inspirada no livro da jornalista e escritora Claudia Werneck, publicado no ano de 1996 pela WVA Editora. A obra foi a primeira no Brasil a tratar do tema a partir da Resolução 45/91, assinada pela ONU em 1990.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

3º CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISAS EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS E LÍNGUA PORTUGUESA


Já estão abertas as inscrições para o 3º CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISAS EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS E LÍNGUA PORTUGUESA que acontecerá em Florianópolis de 15 a 17 de agosto de 2012 no Hotel Maria do Mar.

Informações:


video

 

terça-feira, 9 de agosto de 2011

FESTIVAL BRASILEIRO DE CULTURA SURDA


FESTIVAL BRASILEIRO DE CULTURA SURDA
DATA: 13 a 15 de Novembro de 2011
LOCAL: Universidade Federal do Rio Grande do Sul -Porto Alegre, Brasil

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal de Pelotas (UFPel) têm o prazer de convidá-los a participar do Festival Brasileiro de Cultura Surda.

Através desse Festival objetivamos dar visibilidade e contribuir para a divulgação das produções culturais das comunidades surdas brasileiras, potencializando intercâmbios entre os diferentes atores envolvidos na produção, circulação e consumo dos artefatos pertencentes à cultura surda.

Com ênfase no registro das produções culturais das comunidades surdas, o Festival congrega quatro eixos: (1) mídia-cinema, (2) literatura, (3) teatro,  (4) artes visuais.

INFORMAÇÕES: Clique AQUI

domingo, 3 de julho de 2011

ASL – UMA LÍNGUA INTERNACIONAL?!.

A Língua de Sinais Americana, nome original: American Sign Language, (também conhecida pelas iniciais ASL) é a língua de sinais dominante, através da qual a comunidade surda nos Estados Unidos da América, nos lugares de expressão anglófona do Canadá, e algumas partes do México, se comunica. É uma língua visual-espacial complexa, completa, e linguisticamente, natural.

A ASL também é usada, por vezes (normalmente em conjunto com uma língua de sinais indígena) nas Filipinas, Singapura, Hong Kong, República Dominicana, Haiti, Porto Rico, Costa do Marfim, Burkina Faso, Gana, Togo, Benim, Nigéria, Chade, Gabão, República Centro-Africana, Mauritânia, Quênia, Madagascar e Zimbábue. Estima-se que a ASL seja usada por cerca de 2 milhões de surdos, só nos EUA.

A ASL, assim como a LSB, tem uma sintaxe tipo tópico-comentário (Objeto - Sujeito - Verbo), enquanto que o Inglês usa a forma (Sujeito - Objeto – Verbo). Na verdade, em termos de sintaxe, as frases em ASL têm mais semelhança com o japonês falado do que com o Inglês. Interessante, no entanto, que a composição das frases em ASL apresenta termos do vocabulário da linguagem gestual francesa, a antiga (LSF), porque no século XIX, o francês Surdo, Laurent Clerc, foi um dos primeiros professores de Surdos nos EUA. Então, se você sabe ASL, é melhor tirar umas férias na França do que na Inglaterra! Mas a conexão francesa para a América é rara, a maioria das línguas de sinais desenvolveu-se de forma independente, e cada país (e em alguns casos, cada cidade) tem a sua própria língua de sinais.

É mais do que sabido que não há "língua de sinais universal" ou real "língua de sinais internacional". Há um formulário de inscrição chamado Gestuno que foi desenvolvido por um comitê da Federação Mundial de Surdos. Não é realmente uma linguagem, mais um vocabulário de sinais que todos eles concordam em usar em reuniões internacionais. Mas ninguém realmente utiliza o Gestuno como língua nativa, assim como ninguém realmente usa Esperanto como sua língua nativa falada. Na Europa, por causa do aumento do comércio e da mobilidade, há uma língua franca sendo desenvolvida, uma língua de sinais “crioulo” (mista) que alguns a chamam de Língua de Sinais Internacional. Mas nem o Gestuno ou o novo crioulo europeu são verdadeiras línguas naturais a partir da perspectiva linguística. Talvez, na medida em que uma nova geração de Surdos “Euro-kids” cresce, eles vão desenvolver uma nova língua de sinais Euro-natural.

Atualmente existem surdos e intérpretes se qualificando no ensino e aprendizado da ASL para uso profissional, o que tem vasto mercado a ser explorado, visto que pouquíssimos se arriscam trilhar estes caminhos.

Para você que já tem domínio da LSB, fica aqui um desafio: experimente e você vai ver que não é tão difícil como se pensa. Ao contrário, assim como a gramática da língua inglesa comparada à portuguesa é bem mais simples, a ASL também é uma língua fácil de ser aprendida. Além disso, existe vasta aplicação e demanda no mercado atual com a crescente expansão e divulgação das línguas de sinais pelo Brasil, principalmente em centros universitários e eventos como congressos e seminários.

Você pode começar desenvolvendo seu interesse e curiosidade visitando um site americano que oferece o DICIONÁRIO da ASL. São opções muito variadas como: dicionário de conversação, dicionário religioso, sinais do dia-a-dia e testes como “quizMe” que o ajudarão a praticar e avaliar seu aprendizado, além de oferecer não só palavras, mas, frases e expressões. Muito interessante!!!

quarta-feira, 2 de março de 2011

PROLIBRAS 2010/2011

A Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC, em parceria como o MEC/INEP, realizará também a quinta edição do exame nacional de certificação PROLIBRAS (denominado PROLIBRAS/2010), cujo cronograma é o seguinte:
Inscrições: de 01/03 a 31/03/2011
Prova Objetiva: 01/05/2011
Prova Prática: a partir de 03/05/2011

Confira detalhes no Edital Completo AQUI

Outras informações estão disponíveis no site www.prolibras.ufsc.br.

Boa Sorte a todos!!!